Simple, Free Image and File Hosting at MediaFire

13 abril 2012

Projeto Choro do Pará participa da abertura da Feira Pará Negócios

Os 30 músicos que participam do projeto Choro do Pará, da Fundação Curro Velho, se apresentam na abertura da Feira Pará Negócios, nesta quinta-feira (12)

Nesta quinta-feira, 12, cerca de 30 músicos que participam do Projeto Choro do Pará, da Fundação Curro Velho, se apresentam na abertura da Feira Pará Negócios, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. A programação inicia às 19h e a Feira é uma promoção da Associação Comercial do Pará.

Segundo o instrutor do projeto Choro do Pará, Claude Lago, a orquestra do choro vai reunir cerca de 30 músicos que vão tocar o melhor do chorinho. “No repertório vamos tocar músicas de Jacob do Bandolim e Waldir Azevedo, além de autorias de músicos paraenses como Adamor do Bandolim”, explica Claude Lago.

O projeto Choro do Pará surgiu em 2006 com oficinas no Instituto de Artes do Pará. Segundo Claude Lago, o objetivo é divulgar a música, o gênero musical do choro e incentivar a formação de novos grupos. “Como resultados do projeto Choro do Pará, temos grupos formados, como o Charme do Choro, o Chorando pra Cachorro, na Ilha de Mosqueiro, e o grupo Choramigando”, conta o músico.

A Orquestra Choro do Pará reúne em torno de 40 músicos que tocam flauta, bandolim, saxofone, cavaquinho, violão de seis e sete cordas. As oficinas do Choro do Pará são realizadas às sextas e aos sábados, na Casa da Linguagem, na avenida Nazaré, nº 31.

Oportunidades

No estande do Governo do Pará, a Fundação Curro Velho vai levar produtos que resultaram de oficinas realizadas na instituição. De acordo a gerente de atividades complementares da Fundação Curro Velho, Luciana Rosa, o público da Feira Pará Negócios vai encontrar “peças de cestaria, cerâmica, marcenaria, cartonagem e produtos diversos. Convidamos também alguns artesãos do interior do Estado para participar da Feira, pelo espaço ser uma grande oportunidade de negócios”.

O escultor e ceramista Ronaldo Guedes, de Soure, na Ilha do Marajó, trouxe para a feira amostras de cerâmica e trabalho em madeira. “É super importante poder estar divulgando algo que é referencial, a nossa pré-história, que é a cerâmica do Marajó e também o nosso trabalho em madeira”.

Dona Páscoa Alves, da comunidade Camiranga, de Cachoeira do Piriá, vai expor na Feira de Negócios as bonecas de pano que representam as benzedeiras, dançarinas de tambor crioula. “Trouxemos para mostrar a criatividade das mulheres do Centro Comunitário Remanescente Quilombo, de Cachoeira do Piriá”. Além de cerâmica, no estande do Governo do Pará, Valdeli Alves, da Miritong de Abaetetuba, vai expor mais de 200 peças de brinquedos em miriti. “Trouxe para a Feira os tradicionais brinquedos de miriti, as pombinhas, cobras, barquinhos de pescadores e outras novidades”.

Fonte da notícia: http://www.pa.gov.br

0 comentários:

Postar um comentário

Receba nossa Newsletter: